Daniella de Medeiros

©2018 by Foco no Sucesso.

ESTILISTA QUE PERSISTIU APESAR DO BULLYING

Persistente. Inspirado. Dedicado.

Desde jovem, Wagner acompanhava a avó em tudo o que fazia em seu ateliê de costura. Toda semana, quando tinha missa para ir, ela fazia uma nova roupa. Isso despertou nele, o gosto pela moda. Mas, sua família não achava que essa seria uma carreira a ser seguida. Então, ele começou a cursar TI na universidade. Mas, seu coração falou mais alto. Fez vestibular, em segredo, e entrou para a primeira turma de moda de uma universidade privada de Natal. Quando seus pais descobriram que havia trocado de curso, cortaram tudo em casa, deixando apenas que dormisse e comesse.

Mesmo assim, Wagner não desistiu. Criou uma calça e ofereceu aos colegas de turma. Eles amaram e, logo, todos da universidade queriam a calça by Wagner Kallieno. Quando ainda estava na faculdade, conheceu George Azevedo,  que começou a ensinar mais sobre o mercado da moda, através de editoriais da coluna de jornal Glam, antes mesmo de se tornar uma revista. Na comemoração de dez anos da revista Glam, foi convidado para ser o diretor criativo.

“Desde que nasci, sou estilista. Nâo é um mar de rosas. Quem se propõe para fazer moda, é para sofrer. Mas o sofrimento vale à pena,” afirma Wagner. Sua própria marca foi fundada em 2010, quando ganhou um prêmio. Depois, suas peças participaram de desfiles no São Paulo Fashion Week e Vogue. São seis meses de trabalho em troca de oito minutos, o tempo de um desfile. “O que me gratifica é ver as pessoas na rua usando nossas roupas. Algo que a gente acha bonito e que outras acham bonito também é um retorno maravilhoso”, afirma Kallieno.

Dicas para persistir apesar do sofrimento

  1. Dificuldade sempre vai existir. Insista.

  2. Trabalhando de verdade, as coisas acontecem.

  3. Se você está batalhando, vai dar certo.

  4. Não dê ouvidos às piadas que falam pela escolha que fez profissionalmente

  5. Passe pelos NÃOs. São muitos no caminho.

  6. Força de vontade.

  7. Gratidão.